Celebrar o “ser professor”

Hoje, 15 de outubro de 2017, é dia do professor. Várias pessoas vão publicar em suas redes sociais agradecimentos aos seus mestres. Vão publicar textos e imagens elogiosos, dizendo o quanto o professor é importante para a sociedade.

Hoje, 15 de outubro de 2017, vivemos um período em que todos os professores do país estão sob ataque constante. Professores não receberam seus salários ou receberam salários parcelados, como se os compromissos financeiros que eles assumiram pudessem ser postergados. Professores exercem sua função em escolas sem condições ideais de funcionamento. Professores que estão com os salários em dia são geralmente mal remunerados, recebendo bem menos que outras profissões em que não se trabalha tanto.

Hoje, 15 de outubro de 2017, há professores que estão preparando aula, corrigindo provas, elaborando projetos, porque não existe domingo ou feriado para professor. Há professores atendendo alunos, mesmo que remotamente, porque não tem hora certa para ser professor. Há professores deixando de passar tempo com seus filhos para realizar tarefas e participar de eventos com os filhos dos outros.

Hoje, 15 de outubro de 2017, professores são chamados de vagabundos. São rotulados politica e ideologicamente como lixo. Têm sua dedicação acadêmica, seu estudo, seus títulos, desqualificados por celebridades que nada sabem sobre nada, mas que foram alçados à categoria de sabedores. Dizem que nossa base teórica é comunista (?) e que tudo que aprendemos é furada. Muitos acham que podem fazer o que fazemos sem qualquer estudo ou preparação. A maioria acha que é fácil.

Hoje, 15 de outubro de 2017, dizem que professores não podem ensinar. Que professor é bico, é status (?), é para “complementar renda”.

Estudei Direito e sou inscrita na Ordem dos Advogados. Mas escolhi ser professora desde os meus 17 anos, desde antes de pensar em fazer outra coisa. Eu não estou professora, não faço isso para aparecer nem para complementar renda. Lecionar, orientar, pesquisar, trabalhar com meus alunos é o que faço, o que sei fazer, o que sempre me dispus a fazer. Se vamos falar de vocação, a minha é a docência. E eu estudo, muito, e me preparo, muito, para estar na minha função. Ela me esgota, me consome e me exaure de muitas maneiras. Mas também me complementa, me enriquece, me torna uma pessoa melhor. Quando vejo o sucesso de meus alunos, o crescimento acadêmico deles, sei que meu dever está cumprido, mas não paro por aí. Eu sou professora 24h por dia, 7 dias por semana, e a maior parte dos meus colegas também o é.

Hoje, 15 de outubro de 2017, é o dia do professor. A melhor forma de nos parabenizar é com respeito e reconhecimento. De nada.

Se gostou, compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *